ESTÁ A OUVIR

Titulo

Artista

Background

Projeto ‘Hortas Pedagógicas’ alargado a mais duas escolas em Santo André

Por a 15 de Fevereiro, 2022

A Junta de Freguesia de Santo André inaugurou hoje duas hortas pedagógicas na EB n.º 2 e na Escola Secundária Padre António Macedo (ESPAM), com a participação de mais de 200 alunos, alguns especiais, que aceitaram o desafio de se tornarem pequenos agricultores.

A iniciativa lançada, em março de 2020, na Escola Básica n.º 4, foi alargada a mais dois estabelecimentos de ensino, convidando os alunos e professores a cultivarem produtos hortícolas em ambiente escolar.

Para além da adesão de “todas as turmas da EB n.º2”, este ano, o projeto ‘Hortas Pedagógicas’, conta ainda com a participação de “agricultores” especiais que vão ficar responsáveis por uma pequena horta construída na ESPAM “para ajudar na sua integração”.

Esta “horta especial” para “alunos com necessidades educativas especiais” foi proposta por “duas professoras” de educação especial da ESPAM, explicou o presidente da Junta de Freguesia de Santo André, David Gorgulho.

“Obviamente que, desde o primeiro momento, acedemos a este pedido e é com uma satisfação muito grande que damos vida a esta horta para ajudar estes alunos na sua integração, naquilo que é o seu percurso, a vencerem as dificuldades que já têm a mais em relação aos alunos do ensino regular e para que possamos ter uma sociedade mais inclusiva”, realçou.

Os pequenos agricultores “são os alunos da sala 21” da ESPAM “e outros com quem trabalhamos” que “têm limitações muito graves e precisam de ser muito ajudados e são bastante dependentes”, disse a professora de educação especial, Cristina Santos.

“Temos uma área curricular que se chama ‘Atividades da Horta e Jardinagem” e resolvemos pedir a ajuda da junta de freguesia e aqui estamos com esta horta. Estes alunos vão ajudar a cuidar da horta, a apanhar as ervas, a regar”, com “a ajuda das nossas assistentes operacionais” para “crescerem saudáveis e terem uma boa educação”, adiantou.

Na iniciativa, que contou com a participação de mais de 200 alunos, foram plantados morangos, couves, alfaces, cebolas e outros produtos hortícolas.

“Foi também entregue um kit a cada turma, com certificados para todos os pequenos agricultores e para as turmas e uma espécie de manual com todas as indicações, objetivos, benefícios, calendarização daquilo que deve ser plantado em cada altura do ano, uma ficha técnica de cada produto e algumas curiosidades”, especificou.

Para o autarca, este é um projeto “muito gratificante” e “uma das bandeiras da nossa candidatura à Eco-Freguesia”, num processo que contou com o apoio das empresas Águas de Santo André e da PSA Sines.

A monitorização é feita pelos alunos, professores e educadores de cada estabelecimento de ensino, que ficam responsáveis por tarefas como a rega, limpeza e manutenção das pequenas “leiras”, promovendo um desenvolvimento sustentável dos produtos.

“A manutenção diária é feita pelos alunos, professores e educadores, mas também ao nível das infraestruturas, é a Junta de Freguesia que adquire o material. Este tipo de atividade não se esgota nela própria, uma vez que ao longo da manhã houve várias ideias e projetos em torno das hortas, como a “sopa para todos” ou “mega limonada” com a participação dos pais”, frisou.

Para o vereador da Câmara de Santiago do Cacém, Albano Pereira, este projeto permite uma interação com as crianças desenvolvendo as questões ambientais.

“O mais importante é conseguir interagir com as crianças, levá-las a mexer na terra, a importância do cultivo, mas acima de tudo a importância a nível ambiental”, sublinhou.

O projeto tem como parceiros a empresa Águas de Santo André e PSA Sines.

 

 

 


error: www.radiom24.pt