ESTÁ A OUVIR

Titulo

Artista

Background

Ucrânia: Praça da Liberdade em Grândola é palco de iniciativa de repúdio pela invasão

Por a 9 de Março, 2022

Um grupo de 45 músicos da Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense (SMFOG) vai atuar, este domingo, junto ao Mural do 25 de Abril, em Grândola, numa iniciativa de repúdio pela invasão da Ucrânia.

Imagem de Arquivo

A ação é promovida pela SMFOG, uma das coletividades mais antigas do concelho de Grândola, com o objetivo de mostrar o seu “repudio pela guerra na Ucrânia” e “solidariedade para com o povo ucraniano”.

No evento, que vai decorrer junto ao Mural do 25 de Abril, na Praça da Liberdade, em Grândola, os promotores pretendem juntar cerca de “45 elementos” da Banda Filarmónica que, a partir das 12:00, irão interpretar o Hino da Sociedade, a música Grândola, vila morena, o Hino Nacional da Ucrânia e o Hino Nacional de Portugal.

“É uma mensagem de apelo à paz e de repudio por esta guerra sem justificação que está a destruir um país quase por completo, a destruir e a separar famílias”, disse à agência Lusa o presidente da direção da SMFOG, Luís Vital Alexandre.

De acordo com o dirigente da coletividade, também designada de Música Velha, a iniciativa reveste-se de maior importância, uma vez que um dos músicos da banda filarmónica é de nacionalidade ucraniana e “tem a filha, o neto de dez meses e o genro ainda na Ucrânia”.

“Qualquer grito de revolta contra esta guerra será sempre pouco, mas por mais insignificante que possa parecer este gesto, esperamos que a união de pequenas iniciativas tenham o seu resultado”, realçou.

O símbolo oficial da iniciativa “será o cravo”, por simbolizar “a revolução do 25 de Abril em Portugal, de cor amarela “uma das cores da bandeira Ucraniana do da fita que os combatentes ucranianos e internacionais utilizam nos braços”, referem os promotores.

Segundo o responsável, além desta iniciativa, a SMOFG, está a recolher “material médico para enviar para a Ucrânia e acudir às centenas ou milhares de feridos desta guerra”.

“A partir de quarta-feira e até domingo, inclusive no local onde vamos realizar a nossa iniciativa, as pessoas podem entregar estes bens, uma vez que qualquer ajuda é pouca”, apelou.


error: www.radiom24.pt