ESTÁ A OUVIR

Titulo

Artista

Background

Estações Náuticas do Alentejo vão apostar na internacionalização

Por a 17 de Maio, 2021

O SinesTecnopolo e a Agência para o Desenvolvimento Regional do Alentejo (ADRAL) querem apostar, nos próximos dois anos, na internacionalização e valorização das cinco Estações Náuticas do Alentejo nos mercados de Espanha, Reino Unido e Suécia, num investimento de cerca de 361 mil euros.

O projeto “Internacionalizar + Estações Náuticas do Alentejo”, apresentado na última quinta-feira, em videoconferência, visa a promoção das estações certificadas de Avis, Moura-Alqueva, Monsaraz, Odemira e Sines, nos mercados europeus, aproveitando o potencial das atividades náuticas, associadas ao turismo e ao desporto.

Para o diretor do SinesTecnopolo, Tiago Santos, as Estações Náuticas “são o exemplo de que é possível criar no Alentejo uma rede de oferta turística náutica de qualidade, organizada a partir da valorização dos recursos existentes no território”.

Isto, indicou, faz das atividades náuticas “o motor de desenvolvimento turístico com características para aumentar a projeção internacional do Alentejo e atrair investimento”.

Por outro lado, o diretor-executivo da ADRAL, Francisco da Costa, sublinhou que em conjunto com o SinesTecnopolo, “desenhou” um projeto que “interessa objetivamente aos parceiros” e que surge “num momento em que é preciso recuperar” a economia local.

De acordo com Andreia Cordeiro, gestora do projeto, o objetivo passa por “desenvolver ferramentas que possam levar o nome do Alentejo a vários mercados internacionais, visando estimular as exportações das empresas que integram as estações náuticas” da região.

Para o processo de internacionalização “queremos abranger os principais mercados náuticos a nível europeu”, como Espanha “pela sua proximidade e relevância”, o Reino Unido “pela sua capacidade exportadora de turismo” e a Suécia “que conta com uma forte dinâmica” no setor náutico.

“O Lago do Alqueva tem um importante património natural, paisagístico e cultural” sendo “ ideal para a prática do desenvolvimento de atividades náuticas, associadas ao turismo e ao desporto”, realçou a responsável do SinesTecnopolo.

A estação náutica de Avis, “que tem como base a albufeira do Maranhão, reúne uma grande oferta turística. Odemira conta com a diversificação dos seus pólos náuticos e Sines com a sua oferta de alojamento, restauração e atividades náuticas”, destacou.

O projeto, que vai desenvolver-se em 2021 e 2022, está dividido em “três grandes atividades” que passam pela dinamização das Estações Náuticas, a operação exploratória internacional e a promoção e divulgação de resultados a nível internacional.

“Será criado um catálogo digital das Estações Náuticas do Alentejo, em formato ebook, e estamos também agora na fase de conceção do site do projeto. Pretendemos ainda realizar ações locais para dinamizar do capacitar os membros integrantes de cada Estação Náutica”, referiu.

No âmbito da operação exploratória internacional, o projeto inclui a realização de “algumas ações” que permitam o contacto com agentes para “trabalhar a promoção externa”, mas também a realização de “três missões” para as quais serão convidados “operadores turísticos, prospetores e ‘opinion-makers’, para virem ao Alentejo conhecer as Estações Náuticas”, explicou Alexandra Correia, coordenadora do departamento de desenvolvimento e cooperação da ADRAL.

Outra das componentes é a participação em Feiras Internacionais, em parceria com a Fórum Oceano, a Agência de Promoção de Turismo do Alentejo (ARPTA) e a Entidade Regional de Turismo do Alentejo (ERTA), para trabalhar os mercados europeus, nomeadamente a “Valencia Boat Show” (Espanha), “Southampton Boat Show (Reino Unido) e “Ferie For Alle Danish Travel Show” (Dinamarca).

“Nestas feiras serão organizadas mostras e provas dos produtos do Alentejo para dar a conhecer as atividades que proporcionam, os produtos, empresas e serviços de cada uma das Estações Náuticas”, acrescentou.

A apresentação do projeto contou com a presença de António José Correia, da Fórum Oceano, Vítor Silva, presidente da ARPTA e da ERTA, do presidente da Câmara de Moura, Álvaro Azevedo, presidente da Câmara de Sines, Nuno Mascarenhas, os vereadores das Câmaras de Reguengos de Monsaraz, Odemira e Avis.

A sessão foi presidida pelos diretores do Sines Tecnopolo, Tiago Santos, ADRAL, Francisco da Costa, e da Comissão de Coordenação Regional do Alentejo, Hélder Guerreiro.


error: www.radiom24.pt