ESTÁ A OUVIR

Titulo

Artista

Background

Litoral Alentejano perde 1,5% da população na última década – Censos 2021

Por a 28 de Julho, 2021

A região do litoral alentejano sofreu uma perda de 1.435 pessoas na última década, passando de uma população total de 97.925 para 96.490, ou seja menos 1,5% face a 2011, segundo os resultados preliminares dos Censos 2021.

Na região, composta pelos concelhos de Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém, Sines e Odemira, é este último que regista a maior subida de população em termos de percentagem, e é também o único município do Alentejo que ganhou mais moradores, mais precisamente 3.457, entre 2011 e 2021 (tinha 26.066 pessoas e agora tem 29.523).

O município do Alentejo Litoral que perdeu mais população foi Alcácer do Sal, com uma descida de 14,7% (passou de 13.046 para 11.125 residentes).

A seguir vem Grândola, que tinha 14.826 moradores e tem agora 13.827 (-999 pessoas, descida de 6,7%), e Santiago do Cacém, que passou de 29.749 para 27.801 (-1 948, descida de 6,5%).

Já Sines, o concelho mais industrializado de todo o território alentejano, embora também tenha “balanço negativo”, só perdeu 24 pessoas (-0,2%), passando de 14.238 para 14.214 residentes.

Outra das particularidades do conjunto destes cinco concelhos é que tem mais homens (48.957) do que mulheres (47.533), o que contraria aquilo que se verifica nas outras sub-regiões do Alentejo, onde o sexo feminino está em maioria.

Ao nível do país, o Alentejo foi a NUT de nível II com a quebra mais expressiva de população (-6,9%), de acordo com os resultados preliminares dos Censos 2021.


error: www.radiom24.pt