ESTÁ A OUVIR

Titulo

Artista

Background

COVID-19: Sobe para 50 número de pessoas infetadas na ERPI de Alvalade

Por a 2 de Fevereiro, 2021

O número de pessoas infetadas com covid-19 no surto detetado num lar da Casa do Povo de Alvalade, no concelho de Santiago do Cacém aumentou para 50 após novo rastreio na instituição, foi hoje revelado.

Foram detetados “mais oito utentes e mais quatro funcionários positivos” no rastreio realizado na segunda-feira na Estrutura Residencial para Pessoas Idosas (ERPI) de Alvalade, que passou de 38 (incluindo o óbito de um utente) para 50 pessoas infetadas com o vírus que provoca a covid-19, indicou a mesma fonte.

No total, na ERPI, gerida pela Casa do Povo de Alvalade, foram infetadas 50 pessoas, dos quais 36 utentes – incluindo o idoso que faleceu – e 14 funcionários.

De acordo com a mesma fonte, o utente, com mais de 90 anos, foi internado no Hospital do Litoral Alentejano (HLA), em Santiago do Cacém, no passado dia 23 de janeiro, e acabou por falecer no dia seguinte, “devido ao agravamento do estado de saúde”.

“Este idoso, que tinha testado negativo, foi vacinado” contra a covid-19 na sexta-feira (22), mas “no sábado, desenvolveu sintomas” do vírus que provoca a covid-19, “foi hospitalizado e, no domingo, acabou por falecer”, adiantou.

Devido a este surto, “três utentes estão internados” no Hospital do Litoral Alentejano.

“A maioria dos idosos” com resultado positivo para o coronavírus SARS-CoV-2, que se encontram na instituição, “têm sintomas leves” e “estão em isolamento”, indicou.

O primeiro caso, de um funcionário infetado, foi detetado em dezembro e, entretanto, já está recuperado.

Num comunicado conjunto, a Câmara de Santiago do Cacém, a Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (ULSLA) e a Casa do Povo de Alvalade referem que a autoridade local de saúde está a acompanhar “a evolução epidemiológica e o estado de saúde de todos os infetados”.

A ULSLA disponibilizou “um médico da Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados de Santiago do Cacém que acompanhará ‘in loco’ a situação clínica e a evolução de sintomatologia nos utentes e profissionais”, é acrescentado na nota.


error: www.radiom24.pt