ESTÁ A OUVIR

Titulo

Artista

Background

COVID-19: Misericórdia de Sines vai retomar visitas em condições controladas

Por a 14 de Maio, 2020

A Santa Casa da Misericórdia de Sines anunciou hoje que vai retomar as visitas aos utentes do lar, a partir da próxima segunda-feira, 18 de maio, em condições controladas e de segurança reforçadas.

Numa mensagem, publicada no site oficial da instituição, o provedor da Misericórdia de Sines, Eduardo Bandeira, revelou que as visitas aos residentes do lar passam a ser permitidas , a partir de segunda-feira, após dois meses de confinamento, devido à pandemia de covid-19.

Segundo a instituição, nesta primeira fase de desconfinamento, será implementada a limitação de um visitante por residente e por semana, os visitantes devem respeitar o distanciamento físico face aos utentes, a etiqueta respiratória e a higienização das mãos e devem seguir todas as orientações expostas nas salas de visitas, cumprindo as determinações do pessoal da Misericórdia de Sines.

Durante todo o período de permanência no Lar, os visitantes, devem usar, obrigatoriamente máscaras, de preferência cirúrgica e, não podem levar, para os utentes, objetos pessoais, géneros alimentares ou outros produtos, entrando por acessos exteriores devidamente sinalizados, não podendo circular pelas instalações da instituição, nem utilizar as instalações sanitárias do Lar.

As visitas devem ser previamente marcadas, de segunda a sexta-feira, entre as 09:30 e as 11:00, através do contacto telefónico 924187817, e só podem ocorrer, entre as 15:00 e as 18:00. As visitas terão tempo limitado, de acordo com as condições de cada residente, que será comunicado no momento da marcação, adianta a Misericórdia de Sines.

“Até esta data, não houve nenhum caso de covid-19 na Santa Casa [da Misericórdia de Sines] e vamos retomar, a partir da próxima segunda-feira, dia 18, as visitas ao Lar, em condições controladas e de segurança reforçada (…) porque, no essencial, nada mudou, o vírus continua ativo, não há imunidade de grupo na nossa comunidade, ainda não existe vacina e não é conhecida qualquer cura para esta doença”, sublinhou o provedor da misericórdia.


Opinião do Leitor

Deixe um comentario


error: www.radiom24.pt