ESTÁ A OUVIR

Titulo

Artista

Background

COVID-19: Há 14 escolas de portas abertas para garantir refeições e acolher alunos no litoral alentejano

Por a 16 de Março, 2020

Um total de 14 estabelecimentos de ensino do litoral alentejano integram a lista das escolas que vão estar, a partir de hoje, de portas abertas para garantir as refeições dos alunos mais carenciados e acolher os filhos de pessoal hospitalar e de emergência, segundo dados da Direção-Geral dos Estabelecimento Escolares (DGEstE).

No concelho de Santiago do Cacém, a escola básica Frei André da Veiga, do agrupamento de escolas de Santiago do Cacém, a escola secundária Padre António Macedo, do agrupamento de escolas de Santo André, a escola básica prof. Arménio Lança, do agrupamento de escolas de Alvalade e a escola básica n.1 do Cercal do Alentejo, do agrupamento de escolas de Cercal do Alentejo, são os equipamentos de ensino de referência.

No concelho de Sines, a EB Vasco da Gama, do agrupamento de escolas de Sines, é a escola que vai estar de portas abertas para acolher os filhos dos profissionais de saúde, das forças e serviços de segurança e de socorro – em caso de estes serem mobilizados para o serviço ou prontidão, impedindo assim que prestem assistência aos seus filhos.

Estes trabalhadores terão de ser mobilizados pela entidade empregadora ou pela autoridade pública, podendo solicitar o acolhimento dos seus educandos, diretamente à Escola desde que demonstrem reunir as condições de aplicação da medida.

No concelho de Grândola, a escola básica D. Jorge de Lencastre, do agrupamento de escolas de Grândola, é a escola de acolhimento.

No concelho de Alcácer do Sal, as escolas básicas Bernardim Ribeiro e Pedro Nunes (que assegura os alunos do 1.º,2.º e 3.º ciclo), e o jardim de infância de Alcácer do Sal (que assegura o pré-escolar), do agrupamento de escolas de Alcácer do Sal, são os estabelecimentos de referência.

No concelho de Odemira, são cinco os equipamentos escolares, segundo a DGEsTE, a escola secundária Dr. Manuel Candeias Gonçalves, do agrupamento de escolas de Odemira, a escola básica eng. Manuel Rafael Amaro da Costa, do agrupamento de escolas de São Teotónio, a escola básica Aviador Britos Paes, do agrupamento de escolas de Colos, a escola básica de Vila Nova de Milfontes, do agrupamento de escolas de Vila Nova de Milfontes, e a escola básica n.1 de Sabóia, do agrupamento de escolas de Sabóia.

Dos cerca de 3.500 estabelecimentos escolares existentes no continente, quase 800 estão classificados como “escolas de referência para o serviço de refeições e acolhimento de filhos do pessoal hospitalar e de emergência”, segundo dados da Direção-Geral dos Estabelecimento Escolares (DGEstE).

Estas 800 escolas serão a exceção à decisão de encerrar todos os estabelecimentos de ensino desde creches a universidades e politécnicos, uma das medidas avançadas no final da semana passada pelo Governo para tentar controlar a disseminação do novo coronavírus.


Opinião do Leitor

Deixe um comentario


error: www.radiom24.pt