ESTÁ A OUVIR

Titulo

Artista

Background

COVID-19: Concessionários de praias preocupados com época balnear no litoral alentejano

Por a 20 de Abril, 2020

No litoral alentejano os concessionários das praias estão apreensivos e aguardam com “expetativas baixas” por um início da época balnear, em junho, “invulgar” e “cheio de incertezas” devido à pandemia de covid-19.

“As expetativas para o próximo verão são um bocadinho más porque não vamos poder receber o mesmo número de pessoas e não podemos ter o mesmo numero de banhistas nas praias como habitualmente”, explica Catarina Gomes, proprietária do concessionário da praia da Galé/Fontainhas, no concelho de Grândola, no distrito de Setúbal.

A empresária, que também é proprietária do parque de campismo da Galé, encerrado há semanas, aguarda “orientações para uma reabertura com as devidas adaptações”, por parte da Capitania do Porto de Setúbal, e diz estar “a preparar o verão como qualquer outro”.

“Não vai ser um verão normal mas temos de garantir uma equipa de 07 nadadores-salvadores, na piscina do parque e na praia. Se não tenho pessoas na praia não vou ter meios para fazer face a essas despesas e possivelmente está em cima da mesa não abrir a praia e colocarmos um ou dois nadadores-salvadores para garantir a segurança dos banhistas”, adiantou.

A antever quebras na faturação, durante a época alta, a responsável diz que os “concessionários vão ter de fazer um grande esforço para manter a segurança” das zonas balneares e por isso defende a abertura das praias “com uma frente mais pequena e uma redução do número de nadadores-salvadores”.

O desconhecimento quanto ao futuro é uma das razões para a apreensão dos concessionários que temem que a “situação já débil” se possa agravar, no período de verão, considerado por muitos como “um balão de oxigénio” para o negócio.

“Estamos sempre a aguardar pelo verão e esta pandemia chegou numa altura em que íamos começar a trabalhar. Já estou há quase dois meses parado e isso traz consequências graves para a faturação e preparação do verão”, conta Kalu Oliveira, proprietário do restaurante Kalux Beach Bar, um dos concessionários da praia de São Torpes, no concelho de Sines.

Aos receios do proprietário do concessionário e também de uma escola de surf, que estão encerrados e com os funcionários em casa, juntam-se as dúvidas quanto ao início da época balnear e “à vontade das pessoas em sair e gastar dinheiro após esta quebra”.

“Estamos todos dependentes das decisões do Governo mas mesmo que seja possível sair e se eliminem essas barreiras julgo que dificilmente se consiga recuperar porque as pessoas têm receio”, adiantou o empresário que já recorreu ao apoio do Estado mas não obteve respostas até à data.

A época balnear decorre entre 15 de junho e 15 de setembro.


Opinião do Leitor

Deixe um comentario


error: www.radiom24.pt