ESTÁ A OUVIR

Titulo

Artista

Background

COVID-19: 14 casos positivos e 157 em vigilância ativa no Litoral Alentejano

Por a 28 de Março, 2020

A Unidade de Saúde Pública do Litoral Alentejano adiantou hoje que na região do Litoral Alentejano estão registados 14 casos positivos de covid-19 e 157 pessoas estão em vigilância ativa. No concelho de Santiago do Cacém, o autarca, confirmou a existência de 3 pessoas infetadas.

Sobe assim para 14 o número de pessoas infetadas no litoral alentejano, que abrange os concelhos de Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém, Sines e Odemira.

Já esta manhã, o delegado de saúde, confirmou à rádio M24 a existência de dois casos no concelho de Santiago do Cacém, número que acabou por ser atualizado pela Câmara Municipal de Santiago do Cacém, num comunicado enviado às redações, para três pessoas infetadas, sendo que uma delas “é um caso importado”, conforme explicou Álvaro Beijinha.

“A informação que temos por parte das autoridades de saúde aponta para a existência de 3 casos confirmados ontem ao final do dia no concelho”, confirmou o autarca que não quis adiantar informações relativamente aos locais de origem dos doentes para garantir “a sua privacidade”.

De acordo com o autarca, que apela à calma e à serenidade, “temos de respeitar estas três pessoas que, obviamente, estão a viver momentos complicados” depois de conhecidos os resultados.

“Não façamos disto uma “caça às bruxas” e as autoridades de saúde estão a cumprir tudo o que são as indicações da Direção-Geral da Saúde (DGS). Obviamente que foram tomadas todas as precauções e realizados um conjunto de testes a pessoas que conviviam diretamente com as pessoas infetadas. Um dos casos é importado, ou seja é uma pessoa que não vive habitualmente no concelho mas tem cá familiares, teve alguns sintomas e confirmou-se que estava infetado com o vírus”, adiantou.

O presidente da Câmara de Santiago do Cacém, que está em contacto permanente com as autoridades de saúde e forças da proteção civil, diz-se preocupado com a falta de material de proteção para dar resposta às reais necessidades dos profissionais de saúde, bombeiros e funcionários do município.

“Preocupa-me a falta de testes, equipamentos de proteção individual, como máscaras, para os profissionais de saúde, bombeiros e funcionários do município. Já fizemos uma encomenda maior e estamos à espera de um número bastante significativo de máscaras para distribuir pelos lares, centros de dia e bombeiros”, sublinhou.

À semelhança do que tem vindo a acontecer no resto do país e do mundo, o autarca, acredita que “este número possa aumentar diariamente”.

“As pessoas devem ter calma e, nesta fase, mais do que saber de onde são as pessoas infetadas e onde andaram, é as pessoas permanecerem em casa, cumprirem as orientações da DGS e se tiverem alguns sintomas ligarem para a linha de saúde 24”


Opinião do Leitor

Deixe um comentario


error: www.radiom24.pt