ESTÁ A OUVIR

Titulo

Artista

Background

Cerimónia de entrega do Prémio Nacional de Conto Manuel da Fonseca realiza-se este sábado

Por a 16 de Outubro, 2020

A Biblioteca Municipal Manuel da Fonseca, em Santiago do Cacém recebe, este sábado, pelas 16:00, a cerimónia de entrega do prémio da 13.ª edição do Prémio Nacional de Conto Manuel da Fonseca.

A obra premiada “Contos de Macau” é da autoria de João Morgado, sob o pseudónimo de Liang. Após a cerimónia, decorre o espetáculo teatral ‘Malteses’, com textos poéticos de Manuel da Fonseca interpretados pelo Teatro de Santo André – GATOSA.

A obra vencedora da 13.ª edição do Prémio Nacional de Conto Manuel da Fonseca recebeu a unanimidade do júri, de entre as 96 obras a concurso.

Para o júri “Contos de Macau” é uma obra de um grande lirismo. As narrativas dos vários contos deixam transparecer uma elevada qualidade estética e um excelente domínio da linguagem. A atmosfera da cultura oriental está muito bem representada, seduzindo a atenção do leitor”.

O vencedor da edição deste ano fala no privilégio de vencer o prémio literário e conta como nasceu a inspiração para o livro

Poeta e romancista, João Morgado, é doutorado em Comunicação na Universidade da Beira Interior, onde se licenciou, tem um mestrado em Estudos Europeus na Universidade de Salamanca, Espanha, e uma pós-graduação em Marketing Político pela Universidade Independente / Universidade de Madrid.

É um autor premiado nas áreas do romance, poesia e conto. Na literatura, afirmou-se com dois romances: «Diário dos Infiéis» e «Diário dos Imperfeitos».

O júri da XIII Edição do Prémio Nacional de Conto Manuel da Fonseca foi constituído por Luís Machado, secretário-geral da Associação Portuguesa de Escritores, Manuel Frias Martins, presidente da Associação Portuguesa de Críticos Literários e Miguel Real, professor, escritor, ensaísta e crítico literário.

O júri deliberou atribuir duas menções honrosas às seguintes obras: “O eterno ciclo da vida ao ritmo das estações do ano: contos didáticos”, da autoria de António Gonçalves Ventura, assinada sob o pseudónimo Simão Alves Casal, e “A pele é um incêndio”, da autoria de Maria Teresa T.G. Branco, assinada sob o pseudónimo A. Branco.

O primeiro prémio do concurso recebe um valor pecuniário de quatro mil euros e a obra será editada pela Câmara Municipal de Santiago do Cacém.

Ao criar o Prémio Nacional de Conto Manuel da Fonseca, o Município de Santiago do Cacém presta homenagem ao grande escritor santiaguense, figura incontornável da literatura portuguesa, e à sua obra, sobretudo através da forma narrativa do conto, em que o autor revelou toda a sua excelência.

Simultaneamente, contribui para a revelação de novos criadores em língua portuguesa. O Prémio distingue uma coletânea de contos originais, por autor maior de idade, natural de qualquer país que integre a comunidade lusófona.


Opinião do Leitor

Deixe um comentario


error: www.radiom24.pt