ESTÁ A OUVIR

Titulo

Artista

Background

BE diz que canil intermunicipal não vai avançar, autarca de Santiago do Cacém fala num projeto com moldes diferentes

Por a 23 de Setembro, 2020

O Bloco de Esquerda (BE) alertou hoje que a construção do canil intermunicipal do Alentejo Litoral “já não vai avançar”, mas o presidente da Câmara de Santiago do Cacém afirmou que o projeto vai para frente “em moldes diferentes” do previsto.


O projeto de construção do Centro Intermunicipal de Recolha Oficial de Animais, um investimento de 1,5 milhões de euros, previsto ficar situado no concelho de Santiago do Cacém, resulta de uma candidatura da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral (CIMAL).

O projeto, comparticipado por fundos comunitários, tinha como objetivo solucionar o problema dos animais errantes nos municípios de Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém, Sines e Odemira.

“Numa consulta à ata de uma reunião da Câmara de Santiago do Cacém, realizada em julho, o presidente anunciou que esta infraestrutura já não vai avançar, explicando que as razões se devem a um custo muito elevado do projeto final, avaliado em dois milhões de euros, que iria aumentar a verba a cada município”, afirmou o coordenador das estruturas regionais do BE, Bruno Candeias.

O custo elevado do projeto final terá sido determinante para a “consequente desistência dos municípios de Alcácer do Sal, Grândola e Odemira e o isolamento de Santiago do Cacém e Sines num projeto comum”, acrescentou o responsável, que exigiu “uma explicação cabal por parte da CIMAL sobre esta matéria”.

“É com muita surpresa que vemos que o projeto não vai avançar, mas com uma evidente alegria, porque percebemos que nunca deveria ter avançado. Perdemos dois anos para poder investir em infraestruturas municipais e de proximidade”,adiantou.

As estruturas regionais do BE opõem-se à construção do “canil intermunicipal do Alentejo Litoral” por “não respeitar o registo de proximidade às associações locais e populações, pôr em causa a proibição de abates e a modernização dos canis municipais de Alcácer do Sal, Odemira e Santiago do Cacém e a urgente construção em Grândola e Sines”.

À rádio M24, o presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, Álvaro Beijinha, sublinhou que o projeto “vai avançar em moldes diferentes daquilo que estava inicialmente previsto”.

“Houve uma ideia inicial das cinco câmaras que compõem a CIMAL de se avançar com um canil único que serviria estes municípios, no terreno onde funciona o canil municipal de Santiago do Cacém, mas o valor do projeto na ordem dos dois milhões de euros fez com que alguns municípios perdessem o interesse por considerar o custo muito elevado”, explicou.

Segundo o autarca, “o valor dos fundos comunitários era de apenas 100 mil euros, sendo a esmagadora maioria do montante suportado por cada uma das câmaras” do litoral alentejano.

Perante a desistência dos municípios de Alcácer do Sal, Grândola e Odemira, “ficou definido que as câmaras municipais de Santiago do Cacém e Sines irão avançar em conjunto para o canil intermunicipal, com as devidas alterações ao projeto inicial, que foi adaptado às necessidades dos dois municípios”, esclareceu.

“O projeto continua a ser gerido no âmbito da CIMAL e está a ser desenvolvido pela mesma equipa técnica, com um valor mais baixo, talvez de 700 mil euros e, nesse sentido, vamos tentar aproveitar o apoio dos fundos comunitários, sendo o restante assumido por Sines e Santiago do Cacém”, frisou.

O autarca estima que a obra, que “será redimensionada à escala dos dois municípios”, poderá avançar no próximo ano.


Opinião do Leitor

Deixe um comentario


error: www.radiom24.pt