ESTÁ A OUVIR

Titulo

Artista

Background

AR debate suspensão imediata de instalações agrícolas intensivas no Sudoeste Alentejano

Por a 31 de Maio, 2021

A Assembleia da República discute, esta terça-feira, uma petição do movimento Juntos Pelo Sudoeste (JPS), intitulada “O Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina não aguenta mais agricultura intensiva”.

O movimento de Cidadãos de Odemira e Aljezur em Defesa do Sudoeste pede a “revogação imediata da resolução do Conselho de Ministros n.º 179/2019” que vem dar uma resposta descarada às exigências e pressões do ‘lobby’ da indústria agrícola intensiva, em vez de avaliar e debater seriamente a situação, trazer soluções às preocupações reais da população e de outros setores socioeconómicos fundamentais”.

Desde 01 de outubro de 2020, altura em que foi ouvido pela Comissão de Agricultura e Mar, que o JPS “vinha exercendo alguma pressão” para que a petição “fosse urgentemente levada à discussão com todos os partidos” com assento parlamentar.

“Urgência essa que se confirma mais do que nunca, dada a situação verdadeiramente alarmante da reserva de água na Barragem de Santa Clara (50% depois do inverno), que abastece ao mesmo tempo a agricultura intensiva do Perímetro de Rega do Mira (90%), a população das aldeias e vilas (6%) e ainda as minas de Neves-Corvo
(3%)”, alertam.

Em debate estará igualmente um projeto de lei apresentado pelo PAN que prevê a suspensão imediata e provisória de novas instalações agrícolas intensivas ou super intensivas no Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

O diploma estabelece medidas a adotar “com caráter de urgência” para a atualização e cumprimento do Plano de Ordenamento do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (POPNSACV).

O projeto de lei, que “visa condicionar a instalação de todas as explorações agrícolas futuras ao cumprimento do POPNSACV” prevê ainda a “criação de medidas complementares à legislação em vigor”.

No plenário será também discutido um projeto de lei do PCP, geograficamente mais abrangente, para a regulamentação da “atualização da caracterização e diagnóstico das áreas protegidas e regime de aprovação de projetos”, além de projetos de resolução apresentados pelo PAN, o PEV e o BE relacionados com o perímetro de rega do Mira, que partem de uma petição.

O diploma do PCP prevê o “diagnóstico do estado de conservação dos valores naturais e dos impactos ambientais cumulativos no território abrangido por cada Área Protegida de âmbito nacional, regional e local e a sua consideração nos instrumentos de gestão territorial”.

No projeto de resolução do PAN é recomendado ao Governo que “adeque as condições dos trabalhadores agrícolas no Perímetro de Rega do Mira [PRM] aos princípios fundamentais da Constituição da República Portuguesa”.

Já a resolução do PEV pretende “travar a expansão de estufas e de culturas agrícolas intensivas, em geral, no PRM – Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

Quando ao BE, “recomenda ao Governo a recuperação da biodiversidade do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina e a transição ecológica da agricultura do PRM”.

O debate das iniciativas tem uma duração prevista de 34 minutos, com intervenções de todos os partidos com assento parlamentar, em função da representatividade.


error: www.radiom24.pt